Salto de fé: A atitude que poucos empreendedores tem coragem de tomar

salto de fé

Chega um determinado momento na vida em que você precisa dar um salto de fé para evoluir: ou você salta, assume riscos e faz o que deve fazer para crescer, ou fica estagnado.

Por que estamos lhe dizendo isso?

Porque todos empreendedores terão de dar seu salto de fé mais cedo ou mais tarde. Aqui na VONIN nós vemos isso acontecer quase todos os dias, principalmente entre os pequenos produtores. Mas o que é exatamente esse fenômeno, e por que ele é inevitável para o seu crescimento?
 

O salto de fé




Um traço comum entre empreendedores bem sucedidos é uma crença profunda — chame de fé, ou de outro nome — de que irão alcançar o sucesso, não importando o custo, energia, tempo ou o que mais terão de sacrificar. Essa crença move o espírito do empreendedor, lhe dando coragem para tomar riscos e continuar avançando rumo à realização de seus sonhos. Aqueles que não possuem essa profunda convicção acabam desistindo logo nos primeiros desafios que enfrentam.

Como disse a empresária Rhonda Laurtizen em uma reportagem para a Forbes:

“Nossa fé nos mantém seguindo em frente quando poderíamos facilmente jogar a toalha e desistir. E quando eu digo fé, não estou me referindo à religião, mas sim sobre uma profunda crença de que quando se trata dos nossos sonhos, nós damos um jeito de fazer as coisas funcionarem.”

E continua:

“Quando os tempos eram difíceis e tínhamos pouco dinheiro para seguir em frente, a fé nos deu a persistência para superar cada obstáculo.

Houveram várias ocasiões em que parecia que o fim tinha chegado, que deveríamos desistir e fechar a empresa. Entretanto, de alguma forma, sempre mantivemos a esperança de que existia uma solução, um milagre, e que se continuássemos tentando, iríamos sobreviver e prosperar.”

 
A fé é o combustível da esperança. É a evidência do que não pode ser visto. Ter fé é confiar em algo que pretendemos alcançar, mesmo que não tenhamos experienciado ainda.
 

E como tudo isso se encaixa na vida de quem trabalha na indústria de alimentos?

A tecnologia tornou o mundo mais fácil para todos. Hoje, produtores de alimentos da indústria podem contar com máquinas para automatizar seus processos de produção, que eliminam diversos problemas em suas fábricas e trazem diversos benefícios: aumento na produtividade, redução de custos e desperdícios, eliminação de tarefas repetitivas e desgastantes, melhor segurança alimentar, maior qualidade e padronização dos produtos, competitividade com concorrentes e diminuição do tempo de entrega dos pedidos devido ao aumento na produção.

A verdade é que dependendo da situação atual da sua empresa, investir em máquinas para automatizar sua produção é um ato de fé. Principalmente se a sua empresa ainda está em fase inicial de crescimento ou você recebe um pedido de contrato gigante e precisa se organizar para atender da noite pro dia.
 


Principais medos que surgem na cabeça dos clientes na hora de comprar uma máquina industrial
Medos frequentes sobre aquisição de maquinário. Clique na imagem para ampliar.

 
 
Como diz Jeff Bezos, CEO da Amazon, uma das maiores empresas do mundo:

“Reconheça que há momentos em que você não pode simplesmente molhar seu dedão na água; é preciso pular com os dois pés. Você precisa dizer: ‘Sim, isso é arriscado e terá um grande custo — o que significa que vamos ter que dar um jeito de fazer as coisas darem certo’… esse é o ‘sim institucional’”.

Para crescer, é necessário dizer sim em situações em que dizer não é a opção mais segura — porém não a certa.

Investir em máquinas industriais de alta produção e qualidade construtiva como as da VONIN não é como comprar um pão na padaria ou um secador de cabelos — claro. É um investimento de médio a longo prazo e deve ser encarado de tal forma, com muito planejamento. Porém, os retornos são certos, uma vez que você conseguir implementar com sucesso um maquinário para automatizar sua linha de produção.